sexta-feira, 28 de agosto de 2009

COR POLÍTICA?.... PARA QUÊ?

A questão dos Boys e das cores políticas é engraçada e por vezes caricata.
A rentrée proporciona-nos reflexões e recordações mais ou menos engraçadas (ou ridículas). Ainda não tenho idade para pensar em escrever memórias mas tenho algumas recordações engraçadas para partilhar.
Em Julho de 2006 fui contactado por um amigo, que tinha sido contactado por uma amiga, para saber se eu estava disponível para falar com o Presidente do Conselho de Administração do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro ! Curioso disse que sim uma vez que não tenho quaisquer pruridos em falar com quem quer que seja. Não tenho, nem nunca tive, barreiras desta natureza.
Eu já sabia que tinha havido contactos com todos os Fisiatras da Região e que este encontro era a procura desesperada duma solução para salvar aquele CA das embrulhada em que estava metido (sem mais Fisiatras, cativos da Dra. Arminda com que tinham entrado em conflito aberto).
O encontro foi preparado, num local recatado da cidade de Coimbra, de modo a evitar encontros inoportunos e a exposição dos diferentes participantes. Tomar um café no Bar do Hotel D. Luís, foi a proposta contando com a minha presença, do Sr. Presidente, da Sra. Enfermeira Directora e do Sr. Vogal.
Feito o ponto da situação e apresentada a proposta o Sr. Presidente teve que se afastar para atender o telemóvel . Muito oportunamente, recebi neste momento a informação mais importante da reunião (???). Confessou-me a Sra. Enfermeira que, nós os três presentes, éramos da mesma cor, o que, considerando a idade do Sr. Presidente constituía um prenuncio e uma sugestão velada de que (eventualmente) poderíamos partilhar mais do que aquilo que se estava ali a propor. Supostamente esta afirmação permitiria tornar mais aliciante a proposta que me estava a ser feita.
O vogal tentou disfarçar este comentário para evitar o ridículo que se sentiu e eu não fui capaz de responder porque nunca tinha observado em directo uma tentativas de facada política em directo e ao vivo (supondo que de facto, qualquer cor política me motivava para um lugar técnico).
Este é um exemplo concreto na primeira pessoa, que confirma alguns dos comentários que aqui apareceram revelando a natureza promíscua das relações contratuais daquelas pessoas que dirigiram o Centro (e cuja continuidade está assegurada).

11 comentários:

  1. É vergonhoso o Portugal em que nos encontramos…. Em que todos, mandam e desmadâo
    e continua a ser o Zé da vaca, que proporcionam uma vida avultada e despreocupante para estes altos senhores, que de senhores apenas não tem nada, somente o dinheiro com que calam a boca aos mais pequenos. Mais pequenos esses que vivem sem posses de conseguir fazer frente a esta gente, capaz de tudo… Julgo que até de matar….
    Espero, que haja coisas, que se venham a revelar, e conscientemente tenho um resultado, para assim haver justiça, e saúde feita em Portugal.
    Com os melhores comprimentos,
    (A escrava)

    ResponderEliminar
  2. Para calar a boca a alguns pelo menos vai havendo dinheiro, agora para material hospitalar, parece que o dinheiro se esgotou, estamos a dar sondas de auto-algaliação a conta-gotas, e das de menor qualidade!Não sei o que se passa por aqui, das duas três, ou isto está na falência, ou estamos a ser vitimas directas de um orçamento incorrecto, feito por pessoas incompetêntes para gerir o quer quer que seja a não ser os seus próprios bolsos.
    (Outra Escrava)

    ResponderEliminar
  3. essa senhora não tem cor politica1 é uma verdaqdeira contorcionista, um(a) cameleão da politica, que só usou e usa, ao sabor doos governos e das administrações que vão passando...

    desde ter sido conduzida e tomado posse como directora primeiro e depois entrado num concurso de supervisora, aberto à boa maneira do dirigismo e dos tachos em que este centro é fértil.

    é sem duvida uma das maiores "contorcionistas" que conheço e vai minando e envenando tudo e todos que por ali vão passando (sobretudo no CA) porque tem tempo, lata e golpe de rins para estar todos os dias e a todas as horas, de maneira a ver e levar os recados que lhe interessam, e os senhores do CA como gostam de dormir até tarde e chegar ao trabalho às 11 e ir almoçar às 12 e depois de tarde vem mais uma hora coçar a micose, e assim não veem nada, nem sabem nada... ou melhor sabem o que essa "malabarista" lhes conta (ou seja apenas o que ela quer que se saiba)... e assim vão entrando uns e outros e ela e as suas "pulgas" amestradas, lá vão fazendo cair CA e manter-se sempre nos lugares e nos locais de poder.

    Quem devia mandar e gerir, apenas lá vai para justificar os (chorudos) cheque que leva ao fim do mês!

    a "malabarista" não dorme e como grande artista que é, sai sempre bem no final.

    alguem tem dúvidas disto?...

    ResponderEliminar
  4. Quem está hoje no Rovisco? A Secretária de Estado! Surpresa! E lá estavam todos bonitinhos à espera da Senhora. Coitadinhos tiveram de vir trabalhar ao Sábado!

    ResponderEliminar
  5. Esta é uma postura normal neste CA e nestes bajuladores. Vivem permanentemente em função das pessoa de fora, do que eles podem pensar ou da imagem que se pode dar,.
    Viver a instituição em função dos seus utentes e, em consequência, dos seus trabalhadores, é uma forma de estar com pouca visibilidade pública e, sobretudo , que dá muito trabalho.
    A propósito, temos falado pouco do Vogal. Sabem como ele era conhecido no Hospital onde trabalhou antes? JÁ ESTEVE.. É verdade que quando alguém perguntava por ele, não estava, mas já tinha estado (quando não se sabe). No Rovisco Pais podíamos chamar-lhe AINDA NÃO. É verdade que está frequentemente para chegar ... mas ainda não chegou (Quando chega).

    ResponderEliminar
  6. Esta é aquela visita que já esteve marcada várias vezes no início do ano e foi sempre desmarcada em cima da hora?
    Provavelmente a Secretária de Estado estava a banhos pela zona e veio comer um robalito à Tocha acompanhada pelas ilustres celebridades do Rovisco Pais?
    Ou então os imperativos da campanha obrigam a fazer ao fim de semana o que não se fez anteriormente no período normal de trabalho. Quem sabe até pode alguém facturar umas horitas extraordinárias (ou abater no horário de trabalho de 35 horas (muito preenchido até às 4 horas da madrugada).

    ResponderEliminar
  7. Sr. Presidente do CA, Professor, o Senhor pode explicar aos comuns dos trabalhadores do CMRRC porque é que tendo sido aprovado um regulamento de horário que obriga toda a gente, sem excepção, a registar a sua assiduidade no dito sistema electrónico(os três membros do CA não contam para aqui, estes autoexcluiram-se de marcarem relógio de ponto, vá-se lá saber porquê?)o pessoal médico não marca, ou quando marca é só para inglês ver? pelo menos no meu serviço!
    Porque motivo não colocam lá o dedo? è pelo facto de serem médicos da familia do Excelentíssimo Provedor dos utentes? Será pelo risco de contrairem infecção? Como à grande maioria são pagas horas extraordinárias como é que estas são apuradas se não há registo de assiduidade válido?

    ResponderEliminar
  8. ....aqui se faz terapia de grupo...

    ResponderEliminar
  9. ainda bem que os esforços para desverdas estao tão ditas formas de vida, tem surgido. Pelo que sei e que demomento tera de ser revelado aos poucos, é ainda muito explosivo. pelo que sera mãu para muita gente....

    ResponderEliminar
  10. Terapia, terapia, propriamente, ainda não vi! O que tenho lido, e muito, é dos motivos da doença, e é essa que nos preocupa a todos, ou quase todos!

    ResponderEliminar
  11. É verdade! Terapia de Grupo que faz muito bem a todos! Um dia destes podemos fazer um resumo desta terapia num livro! Acho que seria record de vendas no Rovisco, até porque o CA ía comprá-los todos para que mais ninguém o pudesse ler... Estou mesmo a imaginar a Cruela a passar o cheque com os dinheiros do estado...Ah Ah Ah!

    ResponderEliminar

Seguidores

National Geographic Photos