segunda-feira, 27 de abril de 2009

CONSULTAS EXTERNAS HOSPITALARES 2.

Já anteriormente me referi às consultas externas hospitalares, à total falta de regra na sua utilização e à sua utilização abusiva.
Recentemente pude ver em primeira consulta uma "doente" que fazia a sua terceira primeira consulta, da mesma especialidade, pela mesma patologia e para receber uma orientação idêntica, em menos de 6 meses de evolução.

É só falta de organização ou temos por trás um sistema indutor de consultas com objectivos estatísticos indexados a benefícios financeiros para a instituição?
Quem se lembra das políclínicas que floresceram pelo país em determinada época, onde as afinidades técnicas e pessoais dos profisionais envolvidos, funcionavam como esquemas indutores de procura? É nisto que os hospitais se estão a transformar? Não há trabalho a sério nos hospitais? 

Precisamos de inventar esquemas para mostrar produção?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores